sexta-feira, 15 de maio de 2009

O Caminho - Dia 2

Dia 9 de Maio de 2009, 7h04m e está um sol maravilhoso para se dar início à segunda etapa… como é habitual temos que afinar as máquinas e, claro está, colocar mais alguns conta-quilómetros… bolas, muitos conta-quilómetros foram montados!!!

Começamos a rolar e a efectuar verificações do nosso “elemento traseiro”, já com algumas mossas mas após algum aquecimento, estão como novos… já usados mas ainda com alguma garantia de fiabilidade!

Após uma despedida de Portugal, eis que chegámos a Tui já em território Espanhol e foi aqui que realmente começou a nossa aventura… a partir de agora o percurso é verdadeiramente merecedor de uma descrição com início de “Era uma vez…”, então cá vai…

Era uma vez um caminho realizado por serras e vales repletos de indícios e marcas de outros tempos, calcorreado por gentes desde tempos longínquos rumo a Santiago de Compostela. Neste caminho sente-se a harmonia e a completa fusão entre o natural e o urbano, até aqueles elementos mais comuns, desde a mais insignificante pedra ao melro madrugador, nos transmitem uma sensação de plena interacção… este caminho é pura e simplesmente fabuloso!
Foi neste clima de perfeccionismo que os elementos do grupo: Deixa-o-escape, Mocinho da Fruta, Mascarilha, Roda Fina, Âncora, Fininho e Faísca Amarelo efectuaram esta etapa rumo a Pontevedra, toda ela bastante durinha, pois as rodas finas foram abandonadas e agora o atrito com o terreno é bem maior…

No Albergue de Pontevedra, desta vez tínhamos bastantes companheiros de viagem… de tal modo que, se a camarata comum tivesse sensores de gases tóxicos, estaria sempre com a luz ligada a piscar e a emitir aquele som ensurdecedor!? Esta foi a verdadeira noite de insónia, como devem imaginar, o “ incrível e fabuloso ressonar colectivo” foi substituído por uma orquestra sinfónica!!!
Âncora - Moçinho da Fruta - Mascarilha - Deixa-o-escape - Fininho - Faísca Amarelo - Roda Fina

Pormenor em Tui

Ponte medieval

Algures pelos trilhos...

Grupo em Redondela

AGRADECIMENTO: ao "no stress" pela seca que deve ter apanhado e por todo o apoio que deu ao grupo...

segunda-feira, 11 de maio de 2009

O Caminho - Dia 1


Dia 8 de Maio de 2009, 6h50m chegam os primeiros peregrinos à Sé do Porto com as biclas carregadas até não poder mais… prontinhos para a grande aventura! Rapidamente os restantes elementos do grupo aparecem com os olhos ainda bastante empolados de uma curta noite de sono. É hora de realizar os últimos ajustes em todo o equipamento, colocar conta-quilómetros, colocar a última gotinha de óleo nas correntes, pormenores verdadeiramente dignos de profissionais do asfalto… sim, sim… não estou a ser nada exagerado, pois alguns elementos do grupo chegam a adequar o tipo de pneumáticos às condições do piso, verdadeiramente coisa de “malta pró” nesta modalidade!!!

Credenciais distribuídas e eis que estamos prontos para o nosso primeiro dia de percurso, realizado por estrada entre a Sé do Porto e o Albergue de S. Teotónio em Valença, seguindo e EN13.

Depois de uma verdadeira gincana urbana pela cidade do Porto, com carros a fazer de mecos e condutores stressados a dificultarem as manobras, eis que rolámos pela EN13 sempre alinhadinhos até Valença, carimbando as credenciais aqui e ali, com algumas paragens para reagrupamento e abastecimento de motores com bolas de Berlim, Clarinhas de Fão, barritas de cereais e suplementos energéticos, bem necessários face às solicitações do percurso… 133 kms num só dia!

Chegados a Valença, que bem que soube deitar o corpinho na erva fresquinha e picante da rotunda, a primeira grande etapa estava concluída e todos os elementos do grupo estavam de parabéns…

Houve no entanto um elemento do grupo, o qual eu não vou citar o nome, que estava visivelmente perturbado levando-nos a pensar que poderia ter sido contaminado com uma qualquer gripe da moda (sintomas de elevadas temperaturas no traseiro, sensibilidade ao toque dos telemóveis e algumas posturas corporais menos adequadas), mas felizmente, não passou de um falso alarme…

A primeira pernoita foi efectuada no albergue de S. Teotónio… o complicado foi mesmo a entrada no albergue, pois o casal de guarda nunca mais aparecia e os motores estavam em arrefecimento acelerado e desejosos do banho retemperador…

Distribuídos pela camarata (uns por cima, outros por baixo) eis que as pálpebras começam a vacilar e o sono toma conta dos nossos sentidos… mas após um descanso inicial eis que começa a verdadeira realidade nocturna… O inicial cantar de grilos e das cigarras foi gradualmente substituído por um incrível e fabuloso ressonar colectivo, tendo direito a um pastor (um dos elementos emitia um som que parecia um guardador de rebanhos a chamar as ovelhas Tok, Tok, Tok…)

E foi assim o nosso primeiro dia desta fabulosa aventura…

Peregrinos na Sé do Porto


Vila do Conde

Centro histórico de Caminha

Albergue de S. Teotónio

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Caminho de Santiago

Nos dias 8, 9 e 10 de Maio de 2009 irei pela primeira vez realizar o percurso até Santiago de Compostela. Primeira vez, por ser realmente a primeira peregrinação e por ser, espero eu, a primeira de muitas peregrinações... o tempo o dirá!!!

O percurso a realizar terá início na Sé do Porto e terá um traçado próximo do apresentado no seguinte mapa:

Bom, agora vou mesmo ter que ir preparar os alforgues e toda a logística envolvida neste evento...

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Cividade de Bagunte - Vila do Conde

Domingo, 03 de Maio de 2009, 8h01m enchemos bem os pneus, ligamos o GPS, conta-kilómetros calibrados e lá partimos para mais uma aventura, com extensão de 42 km’s…
Como companheiros de viagem tive o Mário e o Pinhel, a ementa de percurso foi: como Entrada: Vila do Conde, Prato principal: Retorta, Tougues, Cividade de Bagunte, Arcos, Touginhó e Touginha, e finalmente de Sobremesa: um passeio pelas marginais da Póvoa de Varzim e de Vila do Conde… um verdadeiro menu light!
O percurso foi muito divertido pois fui surpreendido por diversas vezes pelos meus companheiros! O Mário brindou-me com um verdadeiro Truque de Magia, pois conseguiu passar uma lesão de um joelho para o outro…! Por outro lado, o Pinhel após imensos cálculos matemáticos a planear uma aterragem forçada para o lado direito, teve azar pois as Leis de Murphy existem, e não é só no papel, e acabou por caiu para o lado esquerdo, logo na altura que íamos a ser acompanhados por um enorme grupo de bttistas…!
Adorei o percurso pois foi todo ele improvisado, excepção feita pela passagem pela Cividade de Bagunte, resto de um povoado fortificado da Idade do Ferro
, e posteriormente romanizado. Podem ser ainda hoje observadas algumas das muralhas e estruturas habitacionais de planta predominantemente circular e rectangular, agrupadas em aparentes "quarteirões"…


Os pilotos e as máquinas...


... os percursos...


... as paisagens...



Possuidora de múltiplos significados na simbologia celta, a figura do TRISQUEL exprime ainda a tripla manifestação (força, conhecimento e amor) da unidade divina masculina e feminina. Representa as três classes da sociedade celta (guerreiros, druidas e produtores) e simboliza a energia “em movimento” na expressão das suas espirais, com o ar, a água e o fogo reunidos no centro “espiritual” do emblema.

Trilho do Marão

Marão com vista para o Alto da Torre (Altitude 1993m)
Sexta-feira, 01 de Maio de 2009, 14h02m, olho para a montanha e mais uma vez não consigo resistir… toca de arranjar uma boleia até às Penhas Douradas! O percurso realizado teve passagem pela antiga Casa Florestal, Santinha, Portela de Folgosinho, Galhardos, Cabeça do Faraó, Jogo da Bola, Folgosinho, Campo Redondo e por fim Curral do Negro! Este emblemático percurso sempre foi dos meus preferidos pois a paisagem é de cortar a respiração com um horizonte a perder de vista… uma verdadeira tela de tons e brilhos que iluminam o nosso olhar e alimentam o nosso ego!
Vista da descida de S. Tiago
Posto de vigia da Santinha
Vista sobre Folgosinho
video